• Redator do Blog

Além da comunicação: na prática e no dia a dia

Atualizado: 16 de mai.

Faz mais ou menos um mês que a Tingle iniciou sua nova fase, como MarTech, e com o conceito “Além da Comunicação”. Afinal, observamos que nossos clientes precisam de soluções que vão além do escopo de uma agência de publicidade — e, de todo modo, já estamos acostumados a “ir além”.





Mas o que isso significa na prática?

Antes de tudo, gostaria de observar que essa é uma reflexão muito importante para nós, mas também ajuda a ambientar quem está nos conhecendo agora. É isso que você mais precisa saber sobre a Tingle e sua equipe: a gente vai além da comunicação. Isso se deve, em grande parte, à própria equipe, sua cultura de trabalho e ao modelo de atendimento.


Uma cultura que vai além

Nos últimos anos, o debate sobre cultura empresarial ganhou força — com organizações criando seus “culture codes” e fazendo testes de “fit cultural” antes de toda contratação. Mas não é só em multinacionais ou startups com culture codes bonitões e testes de fit que a cultura tem importância.


Voltando ao conceito da antropologia, mesmo sociedades que não escrevem têm cultura. Então, toda empresa tem uma cultura empresarial, mesmo que ela não esteja escrita. Até porque esta é formada pela união das culturas de trabalho individuais dos colaboradores.


Dito isso, quem começa a trabalhar na Tingle pode observar algumas características bem marcantes das pessoas que estão aqui há mais tempo: valorizar a qualidade do trabalho (acima da quantidade) e a colaboração (acima do trabalho individual).


Essas características, que aparecem em maior ou menor grau em cada um dos membros da equipe, se traduzem na cultura da empresa. Assim, toda a Tingle é constantemente motivada a ir além, valorizando sempre a qualidade do trabalho colaborativo.


Uma equipe dinâmica

Um bom trabalho em equipe exige maturidade – o que pode ser listado como outro ponto importante que nos faz “ir além”.


Isso porque a Tingle vai contra a “juniorização” observada em muitas empresas, investindo em uma equipe sênior — repleta de profissionais com bastante experiência de mercado e vasto conhecimento em suas áreas de atuação. O espaço para os juniores é de evolução, com oportunidades para aprender na prática e amadurecer seus skills, mas sempre com a orientação de gestores experientes à frente dos contratos.


Sobre isso, também é importante ponderar que tempo não é sinônimo de experiência ou conhecimento. Até porque é possível ficar parado no tempo — algo que não observamos aqui. Um exemplo bem claro disso é o do nosso CEO, Marcos Santos: com duas décadas de carreira, começou na publicidade tradicional, trabalhou com campanhas de incentivo, auxiliou clientes na transição para o pensamento digital... E agora, frente à necessidade de embasar decisões de marketing em dados, está capitaneando a transição da Tingle de uma agência de comunicação para uma MarTech.


Atendimento além da criação

Falando em transição, esse é um bom momento para apresentar nossa nova estrutura. A área de criação continua sendo essencial, afinal é ela que dá vida às soluções tecnológicas desenvolvidas como MarTech. A questão é que, além disso, temos outras duas verticais de atuação tão importantes quanto ela.


A área de sucesso do cliente é responsável pelo atendimento consultivo às demandas dos parceiros, planejando e gerenciando os contratos. Do outro lado, criamos também uma vertical de inteligência e inovação — com uma equipe dedicada à administração de nossos produtos que já existem e das novas soluções que precisaremos desenvolver.


Essas duas áreas estão andando juntas para pavimentar o novo caminho da Tingle como MarTech. Um caminho que vai muito além da comunicação não apenas na campanha, mas também na prática.


Quer saber mais como é ir além com as nossas soluções? É só chamar no WhatsApp ou mandar um e-mail para comercial@wearetingle.com


Evandro Voltolini Planejamento

21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo